Blog da Bp
mar292019

E-commerce: O que é, como funciona e tipos de e-commerce

Categorias: Sem categoria

0 Comentário

Você sabe o que é e-commerce? Não se engane em pensar que essa é uma pergunta boba e pouco recorrente. Afinal, mergulhar no superficial é bem comum atualmente.  Mas vamos te explicar melhor.

O varejo se transformou junto com os clientes. Hoje, as pessoas buscam novas formas de consumir e prezam muito por praticidade e segurança. Comprar pela internet se tornou um hábito cada vez mais comum entre os consumidores: de 2011 até 2017, o faturamento das compras on-line subiu de R$ 18,7 milhões para R$ 47,7 milhões.

E aonde um e-commerce se encaixa nisso? Ao usar a internet como canal de vendas e relacionamento com os clientes do seu negócio pode ser uma estratégia bastante lucrativa, não é mesmo? Aliás, essa modalidade de venda vem sendo amplamente empregada por comércios do Brasil e do mundo.

O que é e-commerce?

O termo e-commerce (ou “comércio eletrônico” em português) é uma modalidade de comércio onde os negócios e transações financeiras são realizadas via dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores, tablets e smartphones.  

Esse tipo de comércio pode contar com diversos canais de vendas. O mais conhecido é a loja virtual. Porém, também temos outros, como marketplaces, vendas nas redes sociais e até vendas por e-mail marketing.

É um engano pensar que muitas pessoas, blogs e até a impressa definem o e-commerce como sinônimo de loja virtual. É importante ressaltar que a expressão e-commerce se diferencia do termo “loja virtual”, já que ele se refere a um website em que os clientes podem comprar produtos, sendo apenas um dos canais do e-commerce.

Leia mais: As principais diferenças entre loja virtual e loja física

Quais são os tipos de  e-commerce?

Agora, vamos pensar nos tipos de e-books existentes. Um e-commerce pode vender produtos físicos ou digitais, como vídeos, cursos e e-books, por exemplo.  Mas tem mais coisa por aí:

E-commerce B2C ou B2B

Um e-commerce não vende só para o público-final (varejistas), mas também para os comércios (atacado). No primeiro caso, o cliente final é o público de interesse (B2C), enquanto no segundo, geralmente, o foco fica em outras empresas (B2B). Hoje, existem sites próprios para transações entre consumidores, isto é, Consumer to Consumer (C2C), como OLX, Bom Negócio e Enjoei.

Marketplaces

Além das lojas virtuais, existe também os marketplaces, que funcionam como “shopping virtual”. Uma empresa abriga várias lojas virtuais, com vários preços e diferentes produtos. Como exemplo podemos citar o Submarino, as Americanas e a própria Amazon: além de venderem produtos dos seus estoques, esses sites disponibilizam produtos de outras lojas.

E-commerce de produtos físicos x e-commerce de produtos digitais

Em geral, quando pensamos em e-commerce, imediatamente lembramos dos produtos físicos. Mas é possível encontrar produtos digitais.

O e-commerce de produtos digitais é aquele que vende ou aluga, essencialmente, conteúdo e informação. Como exemplos temos os clubes de assinaturas de conteúdos, podcasts, e-books, cursos à distância e muito mais.

Uma diferença dos produtos digitais para os físicos é o controle maior em estoque e logísticas, que podem ser eliminados e/ou adaptados para fluxos de trabalho.

Como funciona um e-commerce?

Funciona mais ou menos assim: a  exposição de produtos, pagamento (concretização da venda) e entrega de mercadorias. No meio disso, existem processos que vão da atração de clientes com  marketing e atendimento inicial, passando pela logística de envio e pós-venda.

Em uma loja virtual ou marketplace, os produtos estão anunciados em páginas, que funcionam como vitrines. Nele, fotos dos produtos e vídeos são para todos os usuários. Também são apresentadas as especificações técnicas e características como peso, dimensões e preço.

O cliente, então, pode adicionar um produto ao carrinho e continuar comprando ou seguir para o pagamento. Na hora de pagar, ele deve fazer um breve cadastro ou fornecer informações básicas, como nome, CPF e endereço de entrega. Dependendo do local, às lojas podem cobrar frete, que é incluída à parte do preço.  

A escolha da forma de pagamento vem logo depois. Você escolhe as opções, que podem variar para cada lojas, mas as mais comuns são cartão de crédito ou débito, boleto bancário, transferência bancária.  Depois, o cliente só precisa esperar para receber o pedido no lugar desejado.

Leia mais: Vantagens e desvantagens do e-commerce

Quer saber mais sobre como montar seu negócio? Acesse nosso blog. Temos vários conteúdos como esse!



Comentários